Mon, 28 Sep | and-lab.org/comunidade-acervo

stANDing | Programa de Transmissões via Site

Programa Público CML | Investigação-criação & partilha em modo duracional | quinzenalmente, partilha teórico reflexivas & performativas; semanalmente, conversas com convidades
Este evento terminou :( Em breve abriremos as pré-inscrições para a próxima edição!
stANDing | Programa de Transmissões via Site

Horário e local

28 Sep 2020, 19:00 WEST – 21 Dec 2020, 20:00 WET
and-lab.org/comunidade-acervo

Sobre o evento

=> ATENÇÃO: horário das sessões quinzenais às segundas-feiras alterado de 19h para 18h (horário de Lisboa, Portugal)

LOCAL DAS TRANSMISSÕES  PÚBLICAS:

and-lab.org/comunidade-acervo | Sala INTER-FERIR

Convocando a relação entre as artes e formas diversas de re_conhecimento na experimentação de outros entre-modos para a vida comum, ao longo de três meses Fernanda Eugenio e Dani d’Emilia estarão em pesquisa duracional de proposições artístico-políticas encarnadas, em um programa que incluirá três dimensões de colaboração e partilha. Partindo da relação com as Dez Posições ante o Irreparável, a cada semana estarão em conversa com convidades usando como mote uma das palavras-posições. Ao fim deste ciclo entrarão em conversa-criação com Julia Salem, usando como matéria as Dez Posições e o campo de contato entre as práticas experimentadas por cada ume em seus trabalhos. Durante todo o período, a cada quinze dias, Fernanda e Dani farão uma sessão de partilha online sobre o processo de criações e senti-pensares em andamento.

'Links fáceis' para copiar e guardar:

Link da plataforma Comunidade-Acervo:

and-lab.org/comunidade-acervo

Link direto para a Sala INTER-FERIR da Comunidade:

and-lab.org/comunidade-acervo/sala-inter-ferir

Janela direta das transmissões (também informada ao entrar na sala acima):

and-lab.org/transmissoes-sala-inter-ferir

CRONOGRAMA

- Sessões quinzenais em direto - partilhas teórico-reflexivas e proposições performativas:

Às segundas-feiras, das 18 às 19h (horário de Portugal) | 28 de setembro a 21 de dezembro de 2020

  • 28 setembro - sessão de apresentação do programa
  • 12 outubro - (an)coragem e co(m)passionamento
  • 26 outubro - consistência e comparência
  • 9 novembro - firmeza e franqueza
  • 23 novembro - suficiência e justeza
  • 7 dezembro - des-ilusão e des-cisão
  • 21 dezembro -  sessão de encerramento do programa (com participação de Julia Salem)

- Sessões semanais gravadas - conversas com convidades,

Às quintas-feiras, a partir das 18h (horário de Portugal) | 01 de outubro a 03 de dezembro de 2020

  • 1 outubro - Liliana Coutinho | (an)coragem
  • 8 outubro - Sarah Amsler | co(m)passionamento
  • 15 outubro - Andreia de Sade e Nuno do Carmo | consistência
  • 22 outubro - Leandro Cunha | comparência
  • 29 outubro - Alexa Santos |firmeza
  • 5 novembro - Soraya Jorge | franqueza
  • 12 novembro - Xana Piteira e Ana Marreiro | suficiência
  • 19 novembro - Marta Lança| justeza
  • 26 novembro - Vanessa Andreotti | des-ilusão
  • 3 dezembro - Benício Pitaguary | des-cisão

NOTAS BIOGRÁFICAS 

Fernanda Eugenio é antropóloga, artista, investigadora e educadora. Trabalha com a construção de modos de fazer transversais para a com-posição relacional, o cuidado-curadoria e a criação por re-materialização - nomeadamente o Modo Operativo AND, metodologia de cunho ético-estético e político, que criou e vem desdobrando desde os anos 2000, dedicada à prática co(m)passionada da presença, à sintonização com a experiência sensível da inseparabilidade e à pesquisa dos processos de emergência. Fundou e dirige, desde 2011, a plataforma AND_Lab | Arte-Pensamento e Políticas da Convivência (com sede em Lisboa e núcleos no Brasil e em Espanha), uma estrutura artesanal de investigação artística, que atua no cruzamento entre as artes, o pensamento crítico, as práticas político-afetivas encarnadas e as pedagogias radicais, reunindo criadores comprometides com o exercício da arte enquanto reciprocidade que sustenta a vida (em) comum. É pós-doutorada (2012) pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa; doutorada (2006) e mestre (2002) em Antropologia Social pelo Museu Nacional - UFRJ, formada em Dança pela Escola Angel Vianna. No Brasil, foi Pesquisadora Associada do CESAP/IUPERJ (2003-17) e Professora Adjunta de Ciências Sociais na PUC-Rio (2005-12). Nos últimos vinte anos tem atuado como professora convidada em diversos programas de formação em ciências sociais e humanas, artes e performance na Europa, EUA e América do Sul. Suas publicações, criações artísticas e colaborações circula(ra)m por Brasil, Chile, Argentina, Peru, Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia, Alemanha, Áustria, República Checa, Reino Unido, EUA, Canadá, Nova Zelândia,  Vietnã e Filipinas.

Dani d’Emilia - Artista e educadore transfeminista. Desde 2001 trabalha internacionalmente nas intersecções entre performance, teatro imersivo, artes visuais, pedagogia radical e justiça social. Interessa-se especialmente por práticas político-afetivas encarnadas que entrelaçam as esferas artísticas, activistas e espirituais e tem desenvolvido uma vasta investigação à volta da ‘ternura radical’. Dani é co-fundadore da companhia de teatro imersivo Living Structures (GB) e do espaço artístico Roundabout.lx (PT). Foi membro do coletivo La Pocha Nostra (MX/EUA) entre 2011-2016 e do Proyecto Inmiscuir (MX) entre 2015-2017. Desde 2017 integra o coletivo Gestos Rumo a Futuros Decoloniais  (CA/BR) com quem se dedica a pesquisar pedagogias radicais e possibilidades de educação decolonial por meio de práticas artísticas e críticas.  Actualmente vive em Lisboa, onde desde 2018 trabalha com Fernanda Eugenio e AND Lab (Centro de Investigação em Arte-Pensamento & Políticas da Convivência) em diferentes projetos de arte e pedagogia. Também colabora com os programas Gorca Earthcare (SL) e Free Home University (IT), além de outros contextos de pesquisa encarnada. A formação de Dani inclui: MA – Literatura Comparada e Estudios Culturais, Universidad Autonoma de Barcelona (ES, 2016); MA – Programa de Estudos Independentes dirigido por Paul B. Preciado, Museu de Arte Contemporanea de Barcelona (ES, 2015); BA – Devised Theatre and Visual Arts Practices, Dartington College of Arts (GB, 2007); Diploma em Mime & Physical Theatre, Desmond Jones School (GB, 2003); e diversos outros treinamentos em práticas artísticas, críticas e corporais. Seu trabalho artístico e pedagógico tem percorrido uma ampla variedade de espaços institucionais e autônomos na Europa e nas Américas.

Liliana Coutinho (PT) é programadora de Debates e Conferências da Culturgest, em Lisboa. Doutora em Estética e Ciências da Arte pela Univ. Paris 1, é investigadora do I.H.C. – FCSH/UNL e do  Institut A.C.T.E – Université Paris 1. Foi responsável, entre 2013 e 2015, pelo Serviço Educativo do Museu de Arte Contemporânea de Serralves. Como investigadora e curadora, colaborou com o CAM – Fundação Calouste Gulbenkian (em publicações, investigação sobre a coleção, conferências no âmbito do programa educativo, e como curadora da exposição Túlia Saldanha, 2014), M.A.C. Serralves, Le Plateau (Paris), Artistas Unidos e Atelier Re.Al. Participou em comités científicos, editou publicações e proferiu conferências em Portugal e no estrangeiro e deu aulas de história da dança e teoria crítica no Fórum Dança e no C.E.M. É Professora convidada na Pós-Graduação em Curadoria de Arte, da FCSH/UNL.

Sarah Amsler (GB) é uma educadora e investigadora politicamente comprometida que trabalha nos cruzamentos transdisciplinares da sociologia, educação, teoria crítica e feminista, pedagogia radical e justiça social, com interesse especial em aprender nos limites do possível e com o ‘otherwise’. Atualmente, sua pesquisa e trabalho pedagógico concentram-se nas políticas do conhecimento e pedagogias ontológicas no pensamento sistêmico e de mudança, horizontes de possibilidade e mobilizações de esperança e problemas de colonialidade nas práticas educacionais. Ela é membro do coletivo internacional Gestos Rumo a Futuros Decoloniais e da Critical Internationalization Studies Network, ambos baseados na Universidade de British Columbia (CA), e do coletivo de escrita Women on the Verge, baseado na Universidade de Bath (Reino Unido). Sarah é atualmente Professora Associada do departamento de Educação da Universidade de Nottingham, Reino Unido. É Doutorada em Sociologia pela London School of Economics and Political Science (Reino Unido, 2005),  Mestre em Sociologia pela George Mason University (EUA, 1998) e Bacharel em Educação pela Universidade de Delaware (EUA, 1994). https://www.nottingham.ac.uk/education/people/sarah.amsler

Andreia Miguel (PT) - Arquiteta, mestre no Ensino das Artes Visuais e doutoranda em Estudos Artísticos - Arte e Mediações, é professora do Curso de Produção Artística - Têxteis na Escola Artística António Arroio. Investiga e trabalha a transgressão na contemporaneidade artística e social a partir da performance e da emancipação. Explora a educação como veículo de questionamento, de ativação, de ação e de participação quotidiana, com o corpo todo, sobre o mundo.

Nuno do Carmo (PT) - Arquiteto, concluiu o mestrado em Ensino das Artes Visuais e a pós-graduação em Práticas Artísticas e Processos Pedagógicos na ESEI Maria Ulrich em associação com a Fundação Calouste Gulbenkian. Realizou o curso e o projeto avançado de Ilustração e Banda Desenhada no Ar.Co. É professor da especialização em Têxteis do curso de Produção Artística na Escola Artística António Arroio. É atualmente doutorando em Educação Artística no Instituto da Educação da Universidade de Lisboa. Vive e desenha junto à praia.

Leandro Cunha (BR) é artista visual e morador do subúrbio da cidade do Rio de Janeiro, bairro Piedade. Em seus trabalhos pesquisa a relação entre composição de imagem, memória e sua ancestralidade afro-indígena. Os elementos presentes nas culturas tradicionais negro-africanas – trazidas pela diáspora forçada e conservadas nas nações de candomblé – são alguns dos pilares que fornecem as referências éticas, estéticas e políticas para a sua produção artística.

Alexa Santos (PT) - Movida a poesia e paixões Alexa Santos é formada em Serviço Social pela Universidade Católica. Cedo dedicou-se ao ativismo com pessoas LGBTIQ+ passando pela direção da rede exaequo e tornando-se em 2015 mestre em Género, Sexualidade e Teoria Queer pela Universidade de Leeds. Mais recentemente integra o Instituto da Mulher Negra como sua vice-presidente e a direção da associação para defesa dos direitos de lésbicas, Clube Safo. Colabora também no estudo Diversity and Childhood no Centro de Estudos da Universidade de Coimbra.

Soraya Jorge (BR) é membra e professora do “The Discipline of Authentic Movement Faculty” - Janet Adler e introdutora do Movimento Autêntico no Brasil. Criou e coordena, com Guto Macedo, o C.I.M.A. Centro Internacional do Movimento Autêntico, que atua em diversas cidades do Brasil, além de Lisboa, Berlim e Viena. Tem pesquisado como o Movimento Autêntico desenvolve uma encarnação de consciência (somafulness) e como a espiritualidade é incorporada de uma maneira política, ecológica e ética no processo de testemunhar a vida. Ao longo de uma trajetória de mais de 30 anos, desenvolveu um modo singular de praticar e transmitir o  Movimento Autêntico: como Abordagem Relacional Somática, como Prática do Testemunho e como Terreiro Contemporâneo (Círculo Terroso Brasileiro-Africano) e Ecologia. É formada em Dança Contemporânea na Faculdade Angel Vianna, onde leciona há mais de 20 anos, tanto na escola como nas pós-graduações, e doutoranda em Dança pela Faculdade de Motricidade Humana da Universidade Técnica de Lisboa. Seu trabalho como pesquisadora do Movimento do Corpo Sensível (SOMA) é apresentado em congressos, palestras e workshops. www.movimentoautentico.com

Xana Piteira (PT/MC) tem formação em Psicologia, Educação, Permacultura, Regeneração e Comunidades. É pioneira de diversas iniciativas sociais na área da Educação e Permacultura, nomeadamente a empresa Brainstorming Creations Lda (Macau, 2005), a Associação NaTerra (Macau – Timor Leste, 2008) e a Quinta do Vale da Lama (Portugal, 2012). Tem experiência na co-criação e implementação de projetos e como facilitadora de processos de grupo na área da educação integral e participativa. Trabalha com processos de resiliência comunitária, catalisação de mudança social e reconexão com a natureza. Colabora com mentores como Lesley Martin, Rosemary Morrow e James Priest. www.orladesign.org

Ana Marreiro (PT) - trabalha com a produção ética e saudável de alimentos e a confecção de refeições completas e abundantes num contexto de estilos de vida regenerativos, cozinha consciente em contexto urbano e para eventos/grupos, criação de própria horta, processamento dos excedentes, produção de cosmética e produtos de limpeza naturais. Teve formação específica em Bioconstrução (Nuno Mamede), Solos (Sérgio Marachin), Design Permacultura (Lesley Martin), Formação de Formadores de Permacultura (Rosemary Morrow) e Sociocracia 3.0 (James Priest). Por seis anos integrou a equipa educativa da Quinta do Vale da Lama. Aplica ferramentas de vivência comunitária, organização não-hierárquica e partilha a sua experiência em workshops e iniciativas que proporcionam o questionamento de escolhas alimentares com uma abordagem ética. www.orladesign.org

Marta Lança (PT) - Doutoranda em Estudos Artísticos, formação em Estudos Portugueses, Literatura Comparada e Edição de Texto na FCSH-UNL. Os temas de pesquisa passam pelo debate pós-colonial, programação cultural, processos de memorialização, plataformas de discurso e estudos africanos. Criou as publicações V-ludo, Dá Fala, Jogos Sem Fronteiras (co-ed) e, desde 2010, é editora do site BUALA. Escreve para publicações em Portugal, Angola e Brasil. Em Luanda lecionou na Universidade Agostinho Neto e colaborou com a I Trienal de Luanda, em Maputo trabalhou no festival de documentário Dockanema. Tem experiência como programadora, pesquisadora e produtora de cinema. Participou no grupo de consultores do Memorial às Pessoas Escravizadas (iniciativa da DJASS) e no grupo editorial do Glossário Afro-European Cartography of Culture, Language and Arts. É curadora, com Rita Natálio, do projeto Terra Batida, uma rede entre artes e ciência sobre modos de resistência ao ecocídio. www.buala.org

Vanessa Andreotti (BR/CA) é professora titular no Departamento de Estudos Educacionais, na Universidade de British Columbia em Vancouver, Canadá. É titular de uma Cátedra de Investigação Canadense com enfoque em questões relacionadas à globalização, desigualdades e mudanças globais. Vanessa é uma das fundadoras do coletivo de arte e investigação “Gestos Rumo a Futuros Decoloniais” (decolonialfutures.net), que trabalha na interface entre questões relacionadas a violências históricas, sistêmicas e contínuas, e questões relacionadas à insustentabilidade das formas modernas de organização e existência bem como as múltiplas crises da modernidade.

Benício Pitaguary (BR) - Liderança indígena Pitaguary, graduado em Geografia pela Universidade Federal do Ceará. Desenvolve pesquisas na área da educação, culturas indígenas, descolonização e grafismo e pinturas corporais indígenas. É articulador do Museu Indígena Pitaguary, artista plástico especialista em grafismos indígenas. Ministra workshops sobre pintura corporal indígena em aldeias indígenas no Brasil, universidades e eventos, com  ênfase nos impactos do colonialismo nas culturas indígena no Brasil. Benício também atua como terapeuta holístico e massoterapeuta. É comunicador do Mídia Índia, coletivo de mídialivrismo composto por jovens indígenas brasileiros  que atuam nacional e internacionalmente. Atualmente Benício é membro titular do Conselho de Cultura do Estado do Ceará e também do Comitê Gestor de Políticas Culturais Indígenas do Ceará, ambos ligados a Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (SECULT-CE).

Julia Salem nasceu em São Paulo (1982) e reside há quatro anos Lisboa onde cursou o mestrado em Comunicação e Artes na UNL e colaborou com Rose Akras (BR/HOL), Daniela Dini (BR), João Fiadeiro (PT) e Gustavo Ciríaco (BR/PT). É graduada em Comunicação das Artes do Corpo na Pontifícia Universidade Católica PUC-SP em dança e performance.  É integrante do Núcleo de Garagem e  do Coletivo entre 1 e 2, com quem criou Travèssa (2011), Intaura_ação (2015) e In_screver (2016). Concebeu e criou, com Ana Correa, Procedimentos para Encontrar-se (2019) - apoio da Fundação GDA. É terapeuta do corpo, formada no Método de Coordenação Motora – Piret/Béziers e em Terapia Integração Craniossacral pelo IQD - Instituto de Quietude Dinâmica - SP, Brasil. Colabora com Fernanda Eugenio nas escolas de verão AND em Lisboa e São Paulo.  Atualmente facilita encontros de  Práticas em Si, uma série de exercícios de atenção e contemplação, ação e manuseio, comunicação e expressão que pretende ampliar a percepção, através de um descondicionamento do olhar, do fazer e do falar.  É cooperadora da PENHASCO_arte cooperativa em Lisboa, onde atua na programação de artes performativas e cursos  e  na gestão de projetos.

Este evento terminou :( Em breve abriremos as pré-inscrições para a próxima edição!

Compartilhe este evento

Respeitamos a sua privacidade. Somente utilizamos quaisquer dados pessoais para efeito de comunicação de notícias sobre as nossas atividades ou processamento de inscrições e jamais os partilhamos com terceiros. É possível solicitar a obtenção ou a exclusão completa destes dados a qualquer instante para info@and-lab.org.

We respect your privacy. We only use any data collected for the purpose of communicating news about our activities or processing registrations, and we never share them with third parties. You can request to obtain or completely delete this data at any time via email info@and-lab.org.